Carta do Dia

carta do dia

tarot cinco paus
                       Cinco de Paus

Esta carta aponta para as lutas, desafios, batalhas e tensões que enfrentas no dia-a-dia. Indica também as competições com outras pessoas e a intensidade com que tudo isso afeta a capacidade de avançar e viver, com qualidade, a vida. Em vez de tudo avançar harmoniosamente em direção a um objetivo construtivo,  parece que existe uma oposição constante.

Este “Cinco de Paus” também representa uma luta de surdos-mudos. Existe um quadro de pressões externas onde a agitação é uma constante, onde ninguém tem tempo para refletir, para dialogar, para escutar. É uma luta cega, feita de mal entendidos e precipitações.

Se este tipo de situação te estar a tocar, na tua vida corrente, esta é uma oportunidade para mostrares a pessoa que és, ao contribuir para superar o caos e a desordem que reina à tua volta. Reserva um momento para ouvires o que os outros têm a dizer – mesmo que as suas opiniões sejam completamente discordantes. A chave do sucesso é permitir que cada pessoa exponha o seu ponto de vista e, talvez nesse processo, as tuas opiniões se consigam tornar mais suaves e bem aceites. Em retorno, os outros também te irão considerar com o respeito que mereces, por mostrares que és uma pessoa humilde e humana.

Às vezes, o conflito pode ser produtivo, na procura da melhor solução para um problema. Importante é que exista respeito e um ambiente construtivo onde seja possível dialogar sem medos e sem ideias pré-concebidas. A diversidade e as diferenças de opinião não constituem uma ameaça quando se procura o melhor caminho e o progresso.

Às vezes, quando as coisas correm mal, encontra-se um caminho melhor. A força de um conflito pode ser convertida numa alavanca que te dá força para mudar. A transição (ou mesmo a transformação) pode estar a chegar, quer se goste ou não. O desafio é garantir que essa mudança não constitua um desgaste doentio mas, pelo contrário, uma forma construtiva e positiva de lidar com a vida.

Questões:  Contra quê ou contra quem, estás a lutar? Qual é a origem do “stress” que consome o teu sossego?

Luz no Caminho:  A vida reflete aquilo que vai dentro de ti. Se tens momentos de ansiedade exagerada, faz uma pausa e tenta reencontrar-te, reencontrar a tua essência. Não esqueças que existe um lugar secreto, dentro de ti, cheio de paz e serenidade. Esse lugar tem as portas abertas, sempre que queiras descansar e encontrar-te a ti próprio. Na vida há muitas lutas, muitos obstáculos a serem superados. Estou contigo nas lutas que empreendes. Estou contigo para tornar o caminho mais leve e fácil de seguir. Irei à tua frente a iluminar os teus passos.

Tem um dia pleno de boas energias. Sê feliz!
Manuel Ferreira

ponto

Esta mensagem  é uma estrela de Luz para dar força à tua vida. Corresponde a uma fase energética, no círculo simbólico do Tarot, que aponta para desafios que estás a  ultrapassar ou para outros, a que convém estar atento.

Saiba mais

Consulta de Tarot

 

O Tarot e as vibrações lunares

Tarot - O Louco

carta do dia

O Tarot e a Lua nos caminhos da vida

Os desafios deste período lunar: Uso todas as minhas potencialidades? Em determinados momentos, sou capaz de avançar, mesmo sem conhecer todos os detalhes? Confio na minha intuição?

Pedras: Ametista, Sugilite, Azurite

Fragrâncias: Lavanda, Incenso, Sálvia

Afirmação: Acredito firmemente que o Universo guia os meus passos.

O Louco aponta para novos começos plenos de oportunidades e potencialidades. O jovem nesta carta está de pé na beira do penhasco, prestes a dar o primeiro passo para o desconhecido. O mesmo se pode passar neste período, favorável ao início de tarefas cujo final pode vir a constituir uma surpresa. Mesmo que não saiba exatamente para onde está a ir, este é um período em que é chamado para confiar em si mesmo e seguir o seu coração, não importa o louco que este salto de fé possa parecer. Este é um momento em que precisa realmente de ter fé e acreditar que o Universo o está a conduzir para um bom rumo.

Ao empreender essa nova jornada, o Louco encoraja-o a ter uma mente aberta e curiosa e muito espírito de aventura. Atire a prudência ao vento e esteja pronto para abraçar o desconhecido, deixando para trás qualquer medo, preocupação ou ansiedade sobre o que pode vir ou não a acontecer. Trata-se de novas experiências, crescimento pessoal, desenvolvimento e aventura.

Mesmo que não se sinta 100% pronto para o que está para vir, dê um salto no desconhecido, um salto de fé. Acha que precisa ter tudo muito bem planeado antes de começar? Na maior parte das vezes, sim, claro, mas não neste período. De maneira nenhuma! O Louco vai para o caminho apenas com as coisas básicas – e agora ele convida-o a fazer o mesmo. Não precisa de ficar à espera que alguém lhe dê um sinal verde ou ficar a aguardar até ter todas as habilidades, ferramentas e recursos de que possa precisar. Está pronto agora! Se estava à espera de um sinal, ele chegou agora.

Este é um momento de grande potencial e oportunidade. O mundo é o seu palco e tudo pode acontecer. Use a sua mente criativa com uma pitada de espontaneidade para aproveitar ao máximo este tempo mágico e concretizar as suas novas ideias de maneira poderosa.

O Louco é o seu convite para relaxar, brincar e divertir-se. Trate a vida como uma grande experiência e sinta-se no fluxo do que quer que surja no seu caminho. Este período pede que abrace o seu espírito bonito e despreocupado, permitindo-se sentir a energia que o rodeia e que flui através de si. Aproveite o seu potencial. Viva a vida espontaneamente, como se fosse uma criança mais uma vez. Ria mais, dance e deixe o seu coração se libertar.

Este é um excelente período para meditar, se estiver a sentir medos, preocupação ou insegurança na sua vida. O Louco é o seu guia, como alguém que é corajoso, despreocupado e sem medo. Ele é a personificação do seu Eu autêntico – o seu espírito livre, a sua criança interior e a sua alma brincalhona. Todas as vezes que sentir medo, lembre-se da essência do Louco! Nunca se sabe o que o futuro nos reserva, mas, tal como o Louco, damos um salto de fé para o desconhecido, confiando que o Universo nos irá segurar e guiar pelo caminho. Vamos apostar?

Espelho de Vida: eu e os outros

carta do dia

Autoconhecimento e Tarot

O Tarot pode ser um valioso meio de autoconhecimento, para além do seu já conhecido valor como ferramenta de exploração de vida.

O psiquiatra Carl Jung usou o Tarot e a Astrologia nas suas terapias. Ele considerava duas vertentes no inconsciente: o inconsciente individual (que coincide com o conceito de Freud) e o inconsciente coletivo. Lembremos também que Jung sempre teve uma visão espiritual da psicologia e da dinâmica individual e social. O interessante é que, mesmo o próprio Freud, veio a alargar a sua visão ao falar de sonhos premonitórios e de telepatia, como fenómenos que ele verificou serem correntes entre paciente e terapeuta.

No entanto, foi Jung quem associou o Tarot com os chamados Arquétipos, e estes com o inconsciente coletivo. Como é que poderíamos definir inconsciente coletivo? Numa linguagem simples:  é como um registo coletivo de todas as coisas, de todos os padrões de pensamento e ideias do passado, presente e futuro. Numa sessão de Tarot, eu e o meu cliente entramos numa ligação especial com esse inconsciente coletivo onde se vão gerar forças de atração, repulsão e muitas outras “matizes”. O que as cartas de Tarot captam são forças, energias, tendências, desvios…

carta tarot

Numa sessão de Tarot nunca se captam forças estáticas. Capta-se a dinâmica da vida, fluxos, refluxos, movimentos do Ser humano. Os processos e as decisões estão em constante mutação mas existem tendências e são essas que nos interessam. O Tarot não é uma ciência exata porque não há certezas absolutas, nem determinismos, nem destinos fatais. O Tarot aponta sentidos, direções, movimentos, positivos e negativos. Numa sessão, não manuseamos objetos, interagimos com a alma, exploramos a dinâmica do Ser humano e da vida. Mais do que prever, o Tarot deve responder à pergunta: o que posso fazer para melhorar a minha situação? Que obstáculos, percetíveis e impercetíveis, estão em jogo? Que forças é que estão a atuar?

Neste contexto, mais do que antecipar o que irá acontecer, interessa “iluminar” futuros caminhos e opções. Todos queremos que algo de bom venha a acontecer connosco, algo que faça progredir o nosso percurso de vida. Nesse sentido, o Tarot pode indicar a melhor posição, a atitude mais aconselhável para que a situação se encaminhe para uma solução de harmonia e crescimento do cliente.

Por exemplo: Numa relação problemática no trabalho, com um colega ou com um dirigente. Que sinais é que o cliente está a comunicar? De que forma é que se expressa? Se mudar esses sinais, o comportamento dos outros mudará? O ambiente de trabalho ficará melhor? E que sinais é que precisam de ser reavaliados? Numa sessão de Tarot, esses serão pontos a considerar para encontrar a melhor opção.

Relacionamentos

Ainda ao nível de alguns exemplos, podemos afirmar que uma grande parte das consultas se centra em relacionamentos amorosos, particularmente em saber se aquele ou aquela é o “amor da nossa vida” ou se ele ou ela nos amam realmente. Normalmente, estas questões arrastam por trás alguma dor, desconfortos, dúvidas e é fácil entender que existe algo que não deixa a outra pessoa, nem tranquila, nem feliz. Só que estamos a lidar com algo especialmente sensível, lidamos com sentimentos, ligações afetivas em que, pelo menos num dos lados, houve e há uma entrega profunda. Numa consulta, nesta área, lidamos também com o nosso ego, com as suas armadilhas, lidamos com ilusões de que não nos apercebemos e outras ilusões que a sociedade em que vivemos nos faz crer que são “verdades”.

Numa situação destas, talvez o Tarot “toque” em zonas da personalidade que há necessidade de clarificar, por exemplo:

  • O que sinto por essa pessoa tem a ver com o meu orgulho ferido?
  • Que pensamentos é que esta situação desencadeia em mim?
  • Estou a fazer uma tentativa de salvar a minha dignidade ferida?
  • Qual é a  principal motivação neste relacionamento? Ter alguém para me sentir mais seguro? Sentir-me melhor em termos familiares e sociais? Ter alguém ao meu lado para evitar ficar sozinho, mais tarde?
  • A minha forma de estar neste relacionamento é tentar “dominar” para que as coisas decorram da forma que eu entendo?
  • Este “amor” serve, principalmente, para suprir as minhas necessidades pessoais?
  • Essa pessoa que, supostamente, amo, existe? Ainda existe ou, quem sabe, foi apenas uma construção do meu próprio ego?

Por vezes o nosso olhar está tão fixo no olhar do nosso “amor” que nem reparamos que já não estamos a navegar, nem no mesmo barco, nem no mesmo rio. Vemo-nos, olhamos-nos, mas não nos apercebemos que estávamos em barcos diferentes e, às vezes, até em rios diferentes.

Isto são meros exemplos. Estas e outras questões podem ser desencadeadas durante uma sessão de Tarot para entender, em primeiro lugar, os verdadeiros sentimentos, motivações, receios, medos inconfessáveis, ilusões que teimamos em alimentar…  O Tarot até pode dar pistas mais longínquas e apontar padrões de comportamento que se repetem há muitos e muitos anos… E tudo tem as suas razões que também podem ser esclarecidas e melhor compreendidas. Importante é que exista uma conexão autêntica entre o cliente, o terapeuta e as mensagens subtis que o Universo veicula através dos símbolos das cartas do Tarot. Importante é que as ideias e os sentimentos fiquem mais claros para melhor saber o que fazer ou não fazer, para melhorar a vida, para crescer e ter momentos de plenitude.

árvore da vida

Leia também

Tarot – Espelho de Vida