Espiritualidade

mooji

A espiritualidade é um caminho que alguns podem descrever como uma experiência sagrada ou transcendente ou ainda como uma ligação a “algo”  superior – seja um Deus, deuses, a Natureza, o seu Eu interno, etc. Independente do conceito, a espiritualidade comunica sempre um sentido à vida e é um elemento fundamental para a harmonia e crescimento.

Alguns mestres contemporâneos

Mooji

“Há uma energia que irradia da presença do Mooji, um tipo de intimidade impessoal, plena de amor, alegria e uma curiosa mistura de diversão e autoridade. O seu estilo é direto, claro, compassivo e, muitas vezes, cheio de humor. Tão severo é o seu escrutínio e tão firme o seu ponto de vista que o conceito “eu” não escapa a ser desmascarado como sendo uma construção mental, quando visto a partir da consciência sem forma que nós somos.”
(Fonte: https://www.advaita.com.br/mooji/)

espiral

Thich Nhat Hanh

Thích Nhất Hạnh, nasceu no Vietname em 1926 e é um monge budista. É um dos mestres do zen-budismo mais conhecidos e respeitados no mundo de hoje, poeta e ativista da paz e dos direitos humanos. Tem-se dedicado  ao trabalho de transformação interior para o benefício dos indivíduos e da sociedade. Um dos principais ensinamentos de Thich Nhat Hanh é que, através da plena consciência, podemos aprender a viver no momento presente, em vez de nos apegarmos ao passado ou futuro. Residindo no momento presente é, de acordo com Nhat Hanh, a única maneira de realmente desenvolver a paz, em si mesmo e no mundo.

espiral

Eckhart Tolle

Eckhart Tolle, pseudónimo de Ulrich Leonard Tolle (nasceu em 16 de fevereiro de 1948) é um escritor e conferencista alemão, residente atualmente em Vancouver no Canadá,  autor de best sellers sobre espiritualidade. O seu livro mais conhecido é O Poder do Agora.  Eckhart Tolle não está vinculado a qualquer religião mas utiliza-se dos ensinamentos do zen budismo, sufismo (do poeta Rumi), hinduísmo (Advaita Vedânta), dos escritos do Mestre Eckhart e da Bíblia.

espiral

Nisargadatta Maharaj

Indiano (1897-1981) apontou a nossa verdadeira identidade como não-nascida,  imortal, possuindo uma consciência absoluta infinita e eterna.. Para Maharaj, o nosso único “problema” é nós presumimos ser um indivíduo, e, fundamentalmente, não somos um indivíduo, somos intrinsecamente sempre e somente o Absoluto. “Existe um caminho aberto a todos, independentemente de seu estágio e estilo de vida. Todos estão conscientes de si mesmos. O aprofundamento e alargamento da autoconsciência é o caminho real. Quer se chame isso de plena consciência, testemunhar, ou apenas atenção – é para todos. Ninguém é imaturo para isso e ninguém falhará.”  (Fonte: https://www.advaita.com.br/nisargadatta-maharaj/)